Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2012

"O Rito Romano Clássico e a Renovação da Liturgia", por Mons. R. Michael Schmitz

Pax et bonum! Depois de 10 dias de trabalho, concluímos a tradução de uma palestra do Mons. R. Michael Schmitz, do Instituto de Cristo Rei e Sumo Sacerdote, com a devida permissão dada pelo autor. Ele trata do papel fundamental da liturgia, em seu usus antiquior, para que haja, na Igreja, uma verdadeira e duradoura renovação. Outro ótimo texto do mesmo autor é "O Portão para a Eternidade" , que também ganhou tradução pela ARS . "O Rito Romano Clássico e a Renovação da Liturgia" pode ser lido e baixado no Gloria.TV . Esperamos que este trabalho seja bastante proveitoso para os fieis de língua portuguesa. Por Luís Augusto - membro da ARS

Semana Santa na Jerusalém do séc. IV - Sábado Santo e Tempo Pascal

Imagem
Pax et bonum! Alleluia! Fiéis na Anástasis , em torno da edícula (construída em torno do sepulcro propriamente dito), com visão da rotunda (cúpula) Com alegria, deixemos Etéria concluir o Tríduo Pascal como testemunhado em sua Peregrinação: XXXVIII 1. [Sábado Santo] E, no dia seguinte, que é sábado, procede-se segundo o costume, tanto à terceira (=9h) como à sexta hora (=12h); à nona hora (=15h), porém, já não se faz como todos os sábados, mas preparam-se as vigílias pascais na igreja maior, isto é, no Martyrium . E as vigílias pascais fazem-se tal como as fazemos nós, exceto pelo que segue: os neófitos, batizados e vestidos logo que saem da fonte batismal, são conduzidos, primeiramente, à Anástasis junto com o bispo. 2. Atravessando este o gradil da Anástasis , dizem um hino e, a seguir, reza o bispo uma oração por eles e com eles se dirige à Igreja maior, na qual, de acordo com a tradição, todo o povo se mantém de vigília. Realizadas aí as cerimônias que são rituais também

"Credo in Iesum Christum, qui descéndit ad ínferos" - A descida aos infernos

Imagem
PAX! Pondo em breves palavras o contexto litúrgico destas horas do Senhor no sepulcro, no segundo dia de sua morte, meditemos sobre o Responsório após a Segunda Leitura do Ofício das Leituras deste Sábado Santo. R. Recéssit pastor noster, fons aquæ vivæ, ad cuius tránsitum sol obscurátus est; nam et ille captus est, qui captívum tenébat primum hóminem. * Hódie portas mortis et seras  páriter Salvátor noster disrúpit. V. Destrúxit quidem claustra inférni et subvértit poténtias diáboli. R. Nosso pastor se retirou, ele, a fonte de água viva; e o sol, na sua morte, escurecendo, se apagou; e aquele que trazia prisioneiro o homem primeiro, por Cristo aprisionado. * Hoje o nosso Salvador arrombou as portas da morte e quebrou os seus ferrolhos. V. Destruiu as prisões do inferno e derrubou o poder satânico. E leiamos o que nos diz o Catecismo Romano sobre a descida de Cristo aos infernos (traduzido no Brasil como "mansão dos mortos"): CAPÍTULO SEXTO Qui

Semana Santa na Jerusalém do séc. IV - Sexta-feira Santa

Imagem
Pax et bonum! Neste dia, abstenho-me de muitos comentários e deixo a palavra à peregrina Etéria, em seu itinerário pela Cidade Santa: Basílica da Agonia, diante do altar a rocha em que o Senhor orou no Getsêmani O altar grego do Calvário. Protegida, a rocha do próprio Calvário, onde o Senhor crucificado foi levantado para atrair tudo para si. 4. Ora, quando se chega ao ante Crucem (o altar que fica no Gólgota, onde o Senhor foi crucificado), o dia está se tornando já quase claro. Aí, novamente, se lê o passo do evangelho no qual o Senhor é trazido a Pilatos [Mt 27,2]; e tudo quanto consta ter dito Pilatos ao Senhor e aos judeus, tudo se lê [Mt 27,11ss; Mc 15,1-5; Lc 23,1-5; Jo 18,28-38]. 5. A seguir, confortando-o, dirige-se o bispo ao povo que por toda a noite sofreu e há de ainda sofrer nesse dia: que se não deixe abater, mas tenha esperança em Deus, que lhe há de conceder recompensa maior pela sua fadiga . E assim a todos anima, como pode, e diz-lhes: "Entrementes,

Semana Santa na Jerusalém do séc. IV - da Quinta-feira Santa até as primeiras horas da Sexta-feira Santa

Pax et bonum! Dentro de algumas horas entraremos no Sacro Tríduo Pascal. Continuando o testemunho da peregrina cristã Etéria, do séc. IV, vejamos como os cristãos viviam a Quinta-feira Santa em Jerusalém. Anime-nos isto para bem celebrarmos o grande mistério pascal do Senhor, pelo qual se opera a nossa salvação. XXXV 1. [Quinta-Feira Santa] Também na quinta-feira se conduzem as práticas a partir do primeiro canto do galo [pelo meio da noite, provavelmente por volta das 3h], como sempre, até de manhã, na Anástasis [lugar onde fica o sepulcro propriamente dito], e também na terceira hora (=9h) e na sexta (=12h). E, à oitava hora (=14h), segundo o costume, reúne-se todo o povo no Martyrium [a grande igreja atrás do Gólgota], um pouco mais cedo [13h?], aliás, porque é preciso que o ofício termine mais rapidamente; reunido o povo todo, faz-se o que deve ser feito. A Oblação é, nesse dia, oferecida no Martyrium e aí mesmo termina o culto, mais ou menos à décima hora (=16h). Antes, poré

"Pange, lingua, gloriosi" - o belo hino do nobre triunfo da Cruz

Imagem
Pax et bonum! Na última postagem falamos do hino "Vexilla regis" ("Do Rei avança o estandarte"). Recordando ainda o belo contexto para o qual este hino foi composto pelo grande bispo e poeta cristão do séc. VI, Venâncio Fortunato, saibamos que sua colaboração altamente artística e profundamente espiritual não cessa por aí. O hino do Ofício das Leituras e das Laudes (Forma Ordinária) são, ambos, partes de um só grande Hino deste autor: o "Pange, lingua, gloriosi" (no Brasil "Cantem, meus lábios, a luta"). Ao que tudo indica, foi composto para a mesma ocasião que o hino anterior: a acolhida da relíquia da Cruz doada pelo imperador bizantino Justino II à rainha Santa Radegunda, em 569. Na hinologia cristã provavelmente não se encontram versos mais belos que estes na exaltação da vitória de nosso Senhor pelo fiel madeiro da santa Cruz . Como na postagem anterior, segue a tradução do artigo da Catholic Encyclopedia e, em seguida, algumas observaçõ

"Vexilla regis prodeunt" - O Hino das Vésperas da Semana Santa, um verdadeiro tesouro

Imagem
Pax et bonum! É segunda-feira da Semana Santa. Pela terceira vez nossas bocas recitaram ou cantaram o hino "Vexílla Regis pródeunt" (no Brasil "Do Rei avança o estandarte"). Os corações mais sensíveis aos textos da Sagrada Liturgia logo percebem a profundidade deste Hino. Os corações mais superficiais, ignoram-no. Talvez nem todos saibam, mas este hino é de um grandioso valor histórico, por se tratar, como outros, de um dos mais antigos hinos cristãos existentes até hoje. E mais, foi composto para uma ocasião ímpar, ligada à relíquia verdadeira do Santo Lenho, a cruz em que nosso Senhor Jesus Cristo deu a vida por nós. Segue, portanto, a tradução do artigo da Catholic Encyclopedia acerca desta belíssima composição, mais algumas observações relacionadas. Que ela brote do fundo de nossas almas e eleve-nos aos santíssimos mistérios que celebramos nestes dias. Vexilla Regis prodeunt Este "hino mundialmente famoso, um dos maiores no tesouro da Igreja Latina&q

Semana Santa na Jerusalém do séc. IV - Domingo de Ramos da Paixão do Senhor

Pax et bonum! Aproveitando estes dias sublimes da Semana Santa, estaremos postando os trechos da Peregrinação de Etéria referentes à Liturgia de Jerusalém nestes dias. Mas o que é a Peregrinação de Etéria ? Trata-se de um relato escrito por uma cristã do séc. IV (por volta do ano 380), que realizou uma peregrinação pelo oriente, sobretudo pelos lugares sagrados. Seu relato encontra-se fragmentado, mas é um documento histórico de inestimável valor. Lendo-o vemos a quão distante época remontam tantas cerimônias que nossa Sagrada Liturgia traz até hoje. O texto português, em duas partes, pode ser lido aqui e aqui , no Veritatis Splendor. O texto latino ( Itinerarium Egeriæ ) pode ser lido aqui , na Bibliotheca Augustana, da Alemanha. Neste primeiro dia da Semana Santa, o Domingo de Ramos da Paixão do Senhor, onde se comemora a entrada solene do Senhor na cidade santa, e se proclama o Evangelho da Paixão, como prelúdio da Sexta-feira Santa, leiamos como os cristãos o celebravam

Semana Santa na Matriz de Teresina - 2012

H EBDOMADA S ANCTA MMXII Arquidiocese de Teresina Paróquia Nossa Senhora do Amparo 01/04 Dominica in palmis de Passione Domini 06h30 - Santa Missa 09h00 - Santa Missa 11h15 - Santa Missa 17h30 - Santa Missa 02/04 Feria secunda sancta 07h15 - Santa Missa 19h00 - Santa Missa Crismal (na Igreja Catedral) 03/04 Feria tertia sancta 07h15 - Santa Missa 09h00 - Visita aos enfermos 17h00 - Santa Missa 04/04 Feria quarta sancta 07h15 - Santa Missa 09h00 - Visita aos enfermos 17h00 - Santa Missa 05/04 Feria quinta sancta Sacrum Triduum Paschale 17h00 - Missa in Cena Domini Em seguida, Adoração ao Santíssimo Sacramento até pelo menos 22h30 06/04 Feria sexta sancta *Dia de jejum e abstinência 18h00 - Celebratio Passionis Domini 07/04 Sabbato Sancto *Recomenda-se o prolongamento do jejum e da abstinência até a tarde de hoje Dominica Paschæ in Resurrectione Domini 20h00 - Vigilia Paschalis in Nocte Sancta Dia da solene renovação das promessas do Batismo *Pede-se que todos leve