Restrições a menores de 12 anos e outras medidas no retorno das Missas em Teresina

Salve Maria!

Ontem, dia 27 de julho, de acordo com os protocolos estaduais e municipais, as igrejas passaram a poder receber os fiéis novamente. A Arquidiocese assim se manifestou no dia 13 de julho e, agora, teremos a experiência de um retorno a uma certa normalidade da vida eclesial, tão ansiosamente esperada por muitos, que se viram privados da Reconciliação e da Santíssima Eucaristia.

O Revmo. Pe. Isaías Pereira, assessor eclesiástico para as comunicações, segundo postado ontem no site da Arquidiocese, declarou que as pessoas pertencentes ao grupo de risco, formado, segundo as autoridades da saúde, por "diabéticos, hipertensos, doentes renais, idosos acima de 60 anos de idade, cardíacos, pessoas com doenças pulmonares crônicas, bronquite e asma" devem permanecer em casa e acompanhar as celebrações ainda somente de forma remota (rádio, tv, internet). O sacerdote também orienta que as crianças menores de 12 anos permaneçam em casa, "porque os pais não têm como garantir que elas consigam ficar num lugar fixo durante a celebração".

Sacerdote com máscara em Missa do último domingo (26/07/20) na Paróquia Pessoal Nossa Senhora do Rosário de Fátima e Santo Antônio, de Santo Antônio de Pádua-RJ.

Pais e mães, portanto, deverão se revezar, indo cada um para uma celebração, já que pelo menos um cônjuge deve ficar em casa com os filhos. E esperamos que, dada a lotação máxima permitida e a restrição às crianças, novos horários de celebração possam ser disponibilizados para que mais pessoas possam se reaproximar dos sacramentos.

Fiéis em Missa do último domingo (26/07/20) na Paróquia do Sagrado Coração de Jesus, de Valparaíso de Goiás-GO.

A notícia no site ainda informa que, "por enquanto, estão suspensos os sacramentos do batismo, crisma, matrimônio e primeira eucaristia e os templos estarão autorizados a receber uma lotação máxima de 30% (trinta por cento) da capacidade da igreja ou capela, considerando todas as pessoas sentadas".
As orientações dos ditos protocolos são também recordadas em 10 pontos:

1. Disponibilizar/visibilizar meios de alertas: banners, placas, marcadores ou adesivos alertando para o inimigo comum e invisível: o novo Coronavírus;
2. A equipe da Pastoral do Acolhimento deve estar preparada para acolher e orientar os fiéis sobre a higienização, distanciamento e uso obrigatório e permanente de máscaras por todos os participantes das celebrações;
3. Disponibilizar dispensadores de álcool gel 70% em todos os espaços possíveis da Igreja;
4. Fazer o distanciamento nos bancos e cadeiras de, no mínimo, 02 metros entre os participantes;
5. Todas as portas e janelas deverão permanecer abertas para garantir a circulação do ar no espaço;
6. Quando possível, deve-se celebrar ao ar livre;
7. É necessário isolar bebedouros de bico inclinado;
8. Não usar, em momento algum, recipientes com água benta;
9. Isolar com fitas as imagens expostas para que essas não sejam tocadas;
10. Orientar para que os fiéis se retirem do espaço da igreja mantendo o distanciamento necessário, evitando cruzamentos de pessoas, também no estacionamento.

Deus abençoe a todos.

Comentários

Mais acessadas no último mês

Rosário em Latim

Como deve ser o toque da sineta/carrilhão na Consagração?

Batina - algumas perguntas e respostas

Sobre a saudação Dominus vobiscum (O Senhor esteja convosco) e sua resposta

O lugar do batistério na igreja