sábado, 26 de maio de 2012

A forma longa da Vigília de Pentecostes

Pax et bonum!

Esta postagem deveria ter surgido muito mais cedo, mas somente hoje encontrei certos materiais e textos a respeito.
Trata-se da celebração prolongada da Vigília de Pentecostes, citada primeiramente em 1988, na Carta Paschalis Sollemnitatis, da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, mas só inserida em 2008 como suplemento dentro do Missale Romanum, na editio typica tertia emendata.
Como ainda hoje não contamos com a tradução brasileira da edição típica terceira, e sobretudo agora, depois de 2008, com algumas emendas, não temos material oficial no Brasil, tal e qual se encontra no Missal latino atualmente.
Um dos colaboradores do blog Pray Tell postou no último dia 23 (quarta-feira), os textos em inglês que, creio, são os oficiais, da nova tradução do Missal Romano nos Estados Unidos.
Aproveitando este trabalho, segue uma versão nossa, embora tardia.
A forma longa é interessante, prevendo-se a junção com as I Vésperas de Pentecostes, e esta certamente seria a forma mais longa e solene.
Prevêem-se 4 profecias (as três após a primeira são alternativas para a primeira leitura quando se celebra a Missa da Vigília na forma comum, breve) e 1 epístola, digamos. O Glória não vem nos Ritos Iniciais, mas na passagem do Antigo para o Novo Testamento, na Liturgia da Palavra, como na Vigília Pascal.
As rubricas, a monição antes da Liturgia da Palavra e as orações após as leituras, com exceção da Oração após o Glória, são traduções nossas do inglês e, portanto, não oficiais. As outras orações, antífonas, leituras, salmos, o Evangelho e a bênção final estão com seus textos oficiais utilizados no Brasil.

VIGÍLIA DE PENTECOSTES
FORMA LONGA

Esta Missa da Vigília pode ser celebrada na tarde do sábado, antes ou depois das I Vésperas do Domingo de Pentecostes.
1. Nas igrejas onde a Missa da Vigília é celebrada na forma longa, pode-se fazer como se segue.
2. a) Se as I Vésperas celebradas no coro ou em comum precedem imediatamente a Missa, a celebração pode começar tanto com o verso introdutório e o hino ("Oh vinde, Espírito criador") como com o canto da Antífona de Entrada com a procissão e a saudação do sacerdote; em todo caso o Ato Penitencial é omitido (cf. Instrução Geral sobre a Liturgia das Horas, n. 94 e 96).
Segue-se, então, a Salmodia prescrita para as Vésperas, até a Leitura breve exclusive.
Depois da Salmodia, omitindo-se o Ato penitencial e, se oportuno, o Kyrie (Senhor, tende piedade de nós), o sacerdote diz a oração Concedei-nos, ó Deus onipotente, da Missa da Vigília.
3. b) Se a Missa começa da forma comum, depois do Kyrie (Senhor, tende piedade de nós), o sacerdote diz a oração Concedei-nos, ó Deus onipotente, da Missa da Vigília.
O sacerdote então pode admoestar os fiéis com estas palavras ou outras semelhantes:
Caríssimos irmãos,
iniciamos nossa Vigília de Pentecostes,
seguindo o exemplo dos Apóstolos e discípulos,
que com Maria, a Mãe de Jesus, perseveraram na oração,
aguardando o Espírito prometido pelo Senhor;
assim como eles, escutemos, também nós, a Palavra do Senhor com os corações serenos.
Meditemos nos grandes feitos que Deus realizou no passado por seu povo
e oremos para que o Espírito Santo,
que o Pai enviou como primícias aos que crêem,
possa cumprir com perfeição sua obra neste mundo.
4. Seguem-se as leituras propostas no Lecionário. Um leitor vai ao ambão e proclama a leitura. Em seguida o salmista ou canto canta ou recita o Salmo, deixando o refrão com o povo. Todos, então, levantam-se, o sacerdote diz Oremos e, depois de todos terem rezado em silêncio por um instante, diz a Oração correspondente à leitura. No lugar do Salmo responsorial pode-se observar um período de silêncio sagrado. Neste caso, a pausa após o Oremos é omitida.

Antífona de entrada (Rm 5,5; 10,11)
O amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo seu Espírito que habita em nós, aleluia!

Ver o que foi dito acima sobre o Ato Penitencial.

Oração do dia
Oremos.
Concedei-nos, ó Deus onipotente, que brilhe sobre nós o esplendor da vossa claridade, e o fulgor da vossa luz confirme, com o dom do Espírito Santo, aqueles que renasceram pela vossa graça. por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
R. Amém.

Ver a exortação proposta acima.

Primeira Leitura - Gn 11,1-9
Leitura do Livro do Gênesis - Toda a terra tinha uma só linguagem e servia-se das mesmas palavras. E aconteceu que, partindo do oriente, os homens acharam uma planície na terra de Senaar e aí se estabeleceram. E disseram uns aos outros: “Vamos, façamos tijolos e cozamo-los ao fogo”. Usaram tijolos em vez de pedras e betume em lugar de argamassa. E disseram: “Vamos, façamos para nós uma cidade e uma torre cujo cimo atinja o céu. Assim, ficaremos famosos e não seremos dispersos por toda a face da terra”. Então o Senhor desceu para ver a cidade e a torre que os homens estavam construindo. E o Senhor disse: “Eis que eles são um só povo e falam uma só língua. E isso é apenas o começo de seus empreendimentos. Agora, nada os impedirá de fazer o que se propuseram. Desçamos e confundamos a sua língua, de modo que não se entendam uns aos outros”. E o Senhor os dispersou daquele lugar por toda a superfície da terra e eles cessaram de construir a cidade. Por isso, foi chamada de Babel, porque foi aí que o Senhor confundiu a linguagem de todo o mundo e daí dispersou os homens por toda a terra. - Palavra do Senhor.
Graças a Deus.

Salmo Responsorial - Sl 32(33),10-11.12-13.14-15 (R. 12b) 
[O mesmo da sexta-feira da 6º Semana do Tempo Comum, ano impar]
R. Feliz o povo que o Senhor escolheu por sua herança!
1. O Senhor desfaz os planos das nações
e os projetos que os povos se propõem.
Mas os desígnios do Senhor são para sempre,
e os pensamentos que ele traz no coração,
de geração em geração, vão perdurar. R.
2. Feliz o povo cujo Deus é o Senhor,
e a nação que escolheu por sua herança!
Dos altos céus o Senhor olha e observa;
ele se inclina para olhar todos os homens. R.
3. Ele contempla do lugar onde reside
e vê a todos os que habitam sobre a terra.
Ele formou o coração de cada um
e por todos os seus atos se interessa. R.

5. Após a primeira leitura (Sobre Babel: Gn 11,1-9) e o Salmo 32(33).
Oremos.
Concedei, ó Deus onipotente, nós vos pedimos,
que a vossa Igreja possa permanecer sempre sendo aquele povo santo,
formado como um só pela unidade do Pai e do Filho e do Espírito Santo,
que manifesta ao mundo o Sacramento da vossa santidade e unidade
e que a guia à perfeição da vossa caridade.
Por Cristo, nosso Senhor.
R. Amém.

Segunda Leitura - Ex 19,3-8a.16-20b
Leitura do Livro do Êxodo - Naqueles dias, Moisés subiu ao encontro de Deus. O Senhor chamou-o do alto da montanha, e disse: "Assim deverás falar à casa de Jacó e anunciar aos filhos de Israel: Vistes o que fiz aos egípcios, e como vos levei sobre asas de águia e vos trouxe a mim. Portanto, se ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, sereis para mim a porção escolhida dentre todos os povos, porque minha é toda a terra. E vós sereis para mim um reino de sacerdotes e uma nação santa. São estas as palavras que deverás dizer aos filhos de Israel". Moisés voltou e, convocando os anciãos do povo, expôs tudo o que o Senhor lhe tinha mandado. E o povo todo respondeu a uma só voz: "Faremos tudo o que o Senhor disse". Quando chegou o terceiro dia, ao raiar da manhã, houve trovões e relâmpagos. Unia nuvem espessa cobriu a montanha, e um fortíssimo som de trombetas se fez ouvir. No acampamento, o povo se pôs a tremer. Moisés fez o povo sair do acampamento ao encontro de Deus, e eles pararam ao pé da montanha. Todo o monte Sinai fumegava, pois o Senhor descera sobre ele em meio ao fogo. A fumaça subia como de uma fornalha, e todo o monte tremia violentamente. O som da trombeta ia aumentando cada vez mais. Moisés falava e o Senhor lhe respondia através do trovão. O Senhor desceu sobre o monte Sinai e chamou Moisés ao cume do monte. - Palavra do Senhor.
Graças a Deus.

Salmo Responsorial - Dn 3,52.53.54-55.56b (R. 52b)
[O mesmo da Solenidade da Santíssima Trindade, ano A]
R. A vós louvor, honra e glória eternamente!
1. Sede bendito, Senhor Deus de nossos pais. R.
2. Sede bendito, nome santo e glorioso. R.
3. No templo santo, onde refulge a vossa glória. R.
4. E em vosso trono de poder vitorioso. R.
5. Sede bendito, que sondais as profundezas, R.
6. E superior aos querubins vos assentais. R.
7. Sede bendito no celeste firmamento. R.

ou

Sl 18(19),8.9.10.11 (R. Jo 6,68c)
[Sexto salmo da Vigília Pascal]
R. Senhor, tens palavras de vida eterna.
1. A lei do Senhor Deus é perfeita,
conforto para a alma!
O testemunho do Senhor é fiel,
sabedoria dos humildes. R. 
2. Os preceitos do Senhor são precisos,
alegria ao coração.
O mandamento do Senhor é brilhante,
para os olhos é uma luz. R. 
3. É puro o temor do Senhor,
imutável para sempre.
Os julgamentos do Senhor são corretos
e justos igualmente. R. 
4. Mais desejáveis do que o ouro são eles,
do que o ouro refinado.
Suas palavras são mais doces que o mel,
que o mel que sai dos favos. R. 

6. Após a segunda leitura (Sobre a descida de Deus no Monte Sinai: Ex 19,3-8,16-20b) e o Cântico (Dn 3) ou o Salmo 18(19).
Oremos.
Ó Deus, que no fogo e no trovão
destes a Moisés a antiga Lei no Monte Sinai
e que neste dia manifestastes a nova aliança
no fogo do Espírito,
concedei, nós vos pedimos,
que sejamos sempre inflamados pelo mesmo Espírito,
que maravilhosamente derramastes sobre os vosso Apóstolos,
e que a nova Israel,
formada por gente de todos os povos,
possa receber com alegria
o eterno mandamento do vosso amor.
Por Cristo, nosso Senhor.
R. Amém.

Terceira Leitura - Ez 37,1-14
Leitura da Profecia de Ezequiel - Naqueles dias, a mão do Senhor estava sobre mim, e por seu espírito ele me levou para fora e me deixou no meio de uma planície cheia de ossos e me fez andar no meio deles em todas as direções. Havia muitíssimos ossos na planície e estavam ressequidos. Ele me perguntou: “Filho do homem, será que estes ossos podem voltar à vida?” E eu respondi: “Senhor Deus, só tu o sabes”. E ele me disse: “Profetiza sobre estes ossos e dize: ossos ressequidos escutai a palavra do senhor! Assim diz o Senhor Deus a estes ossos: eu mesmo vou fazer entrar um espírito em vós e voltareis à vida. Porei nervos em vós, farei crescer carne e estenderei a pele por cima. Porei em vós o espírito, para que possais voltar a vida. Assim sabereis que eu sou o Senhor”. Profetizei como me foi ordenado. Enquanto eu profetizava. Ouviu-se primeiro um rumor e logo um estrondo quando os ossos se aproximaram um dos outros. Olhei e vi nervos e carne crescendo sobre os ossos e, por cima a pele que se estendia. Mas não tinha nenhum sopro de vida. Ele me disse: “Profetiza para o espírito, profetiza filho do homem ! Dirás ao espírito: “Assim diz o Senhor Deus: vem dos quatro ventos, ó espírito vem soprar sobre estes mortos para que eles possam voltar a vida”. Profetizei como me foi ordenado, e o espírito entrou neles. Eles voltaram a vida e puseram-se de pé: era uma imensa multidão! Então ele me disse: “Filho do homem, esses ossos são toda a casa de Israel. É isto que eles dizem: Nossos ossos estão secos, nossa esperança acabou, estamos perdidos! Por isso, profetiza e dize-lhes: Assim fala o Senhor Deus: Ó meu povo, vou abrir a vossa sepultura e conduzir-vos para a terra de Israel; E quando eu abrir a vossa sepultura e vos fizer sair delas sabereis que eu sou o Senhor. Porei em vós o meu espírito para que vivas e vos colocarei em vossa terra. Então sabereis que eu o Senhor, digo e faço – oráculo do Senhor”. - Palavra do Senhor.
Graças a Deus.

Salmo Responsorial - Sl 106(107),2-3.4-5.6-7.8-9 (R. 1)
[O mesmo da sexta-feira da 20ª Semana do Tempo Comum, ano par.]
R. Dai graças ao Senhor, porque ele é bom, 
porque eterna é a sua misericórdia!
1. Que o digam os libertos do Senhor,
que da mão dos opressores os salvou
e de todas as nações os reuniu,
do Oriente, Ocidente, Norte e Sul. R. 
2. Uns vagavam no deserto, extraviados,
sem acharem o caminho da cidade.
Sofriam fome e também sofriam sede,
e sua vida ia aos poucos definhando. R. 
3. Mas gritaram ao Senhor na aflição,
e ele os libertou daquela angústia.
Pelo caminho bem seguro os conduziu
para chegarem à cidade onde morar. R. 
4. Agradeçam ao Senhor por seu amor
e por suas maravilhas entre os homens!
Deu de beber aos que sofriam tanta sede
e os famintos saciou com muitos bens! R. 

7. Após a terceira leitura (Sobre os ossos secos e o Espírito de Deus: Ez 37,1-14) e o Salmo 106(107).
Oremos.
Senhor, Deus de poder, que restaurais o que caiu,
e preservais o que restaurastes,
aumentai, nós vos pedimos, os povos
que serão renovados pela santificação do vosso nome,
a fim de que todos que foram lavados pelo Santo Batismo
possam sempre ser conduzidos por vós.
Por Cristo, nosso Senhor.
R. Amém.

Ou
Ó Deus, que nos fizestes renascer pela palavra da vida,
derramai sobre vós o vosso Santo Espírito,
para que, caminhando na unicidade da fé,
alcancemos em nossa carne
a glória incorruptível da ressurreição.
Por Cristo, nosso Senhor.
R. Amém.

Ou
Possa o vosso povo exultar para sempre, ó Deus,
em renovada juventude espiritual,
de modo que, alegrando-se agora na glória restaurada de nossa adoção,
mantenhamos, em confiante esperança, o olhar adiante
rumo ao gozo do dia da ressurreição.
Por Cristo, nosso Senhor.
R. Amém.

Quarta Leitura - Jl 3,1-5
Leitura da Profecia de Joel - Assim diz o Senhor: “Derramarei o meu espírito sobre todo ser humano, e vossos filhos e filhas profetizarão, vossos anciãos terão sonhos e vossos jovens terão visões; também sobre meus servos e servas, naqueles dias, derramarei o meu espírito. 3Colocarei sinais no céu e na terra, sangue, fogo e rolos de fumaça; o sol se transformará em trevas e a lua, em sangue, antes de chegar o dia do Senhor, dia grandioso e terrível. Então, todo aquele que invocar o nome do Senhor, será salvo, pois, no monte Sião e em Jerusalém, haverá salvação, como disse o Senhor, entre os sobreviventes que o Senhor chamar”. - Palavra do Senhor.
Graças a Deus.

Salmo Responsorial - Sl 103(104),1-2a,24.35c.27-29bc-30 (R. 30) 
[Salmo da Vigília de Pentecostes]
R. Enviai o vosso Espírito, Senhor,
e da terra toda a face renovai.
Ou Aleluia, Aleluia, Aleluia.
1. Bendize, ó minha alma, ao Senhor!
Ó meu Deus e meu Senhor, como és tão grande!
De majestade e esplendor vos revestis
e de luz vos envolveis como num manto. R. 
2. Quão numerosas, ó Senhor, são vossas obras,
e que sabedoria em todas elas!
Encheu-se a terra com as vossas criaturas.
Bendize, ó minha alma, ao Senhor! R. 
3. Todos eles, ó Senhor, de vós esperam
que a seu tempo vós lhes deis o alimento;
vós lhes dais o que comer e eles recolhem,
vós abris a vossa mão e eles se fartam. R. 
3. Se tirais o seu respiro, eles perecem
e voltam para o pó de onde vieram;
enviais o vosso espírito e renascem
e da terra toda a face renovais. R. 

8. Após a quarta leitura (Sobre o derramamento do Espírito: Jl 3,1-5) e do Salmo 103(104).
Oremos.
Cumpri para nós a vossa graciosa promessa,
ó Senhor, nós vos pedimos, de modo que pela sua vinda
o Espírito Santo possa fazer de nós, diante do mundo, testemunhas
do Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo.
Que vive e reina para sempre.
R. Amém.

9. O sacerdote entona o hino Glória a Deus nas alturas.

10. Concluído o hino, o sacerdote diz a Oração do dia da forma comum, abaixo.

Oração do dia
Oremos.
Deus eterno e todo-poderoso, quisestes que o mistério pascal se completasse durante cinquenta dias, até a vinda do Espírito Santo. Fazei que todas as nações dispersas pela terra, na diversidade de suas línguas, se unam no louvor do vosso nome. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
R. Amém.

11. Então o leitor proclama a leitura do Apóstolo (Rm 8,22-27), e a Missa continua normalmente.

Quinta Leitura - Rm 8,22-27
Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos - Irmãos: Sabemos que toda a criação, até ao tempo presente, está gemendo como que em dores de parto. E não somente ela, mas nós também, que temos os primeiros frutos do Espírito, estamos interiormente gemendo, aguardando a adoção filial e a libertação para o nosso corpo. Pois já fomos salvos, mas na esperança. Ora, o objeto da esperança não é aquilo que a gente está vendo; como pode alguém esperar o que já vê? Mas, se esperamos o que não vemos, é porque o estamos aguardando mediante a perseverança. Também o Espírito vem em socorro da nossa fraqueza. Pois nós não sabemos o que pedir, nem como pedir; é o próprio Espírito que intercede em nosso favor, com gemidos inefáveis. E aquele que penetra o íntimo dos corações sabe qual é a intenção do Espírito. Pois é segundo Deus que o Espírito intercede em favor dos santos. - Palavra do Senhor.
Graças a Deus.

Aleluia
R. Aleluia, Aleluia, Aleluia.
V. Vinde, Espírito Divino,
e enchei com vossos dons os corações dos fiéis;
e acendei neles o amor com um fogo abrasador! R.

Evangelho - Jo 7,37-39
O Senhor esteja convosco.
Ele está no meio de nós.
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João. 
Glória a vós, Senhor.
No último dia da festa, o dia mais solene, Jesus, em pé, proclamou em alta voz: “Se alguém tem sede, venha a mim, e beba. Aquele que crê em mim, conforme diz a Escritura, rios de água viva jorrarão do seu interior”. Jesus falava do Espírito, que deviam receber os que tivessem fé nele; pois ainda não tinha sido dado o Espírito, porque Jesus ainda não tinha sido glorificado. - Palavra da Salvação. 
Glória a vós, Senhor.

Oração sobre as oferendas
Infundi, ó Deus, a bênção do vosso Espírito nas oferendas aqui presentes para que se acenda em vossa Igreja aquela caridade que revela ao mundo o mistério da salvação. Por Cristo, nosso Senhor.
R. Amém.

Antífona da Comunhão - Jo 7,37
No último dia da festa, Jesus clamava: Se alguém tiver sede, venha a mim, e beba, aleluia!

12. Se as Vésperas são rezadas unidas à Missa, depois da Comunhão com a Antífona da Comunhão, canta-se o Magnificat, com sua antífona própria das Vésperas. Diz-se depois a Oração depois da Comunhão e o restante, como de costume.

Depois da Comunhão
Aproveite-nos, ó Deus, a comunhão nesta Eucaristia, para que vivamos sempre inflamados por aquele Espírito que derramastes sobre os vossos Apóstolos. Por Cristo, nosso Senhor.
R. Amém.

13. Convém que se use a fórmula para a Bênção Solene.

Deus, o Pai das luzes, que iluminou os corações dos discípulos, derramando sobre eles o Espírito Santo, vos conceda a alegria de sua bênção e a plenitude dos dons do mesmo Espírito.
Amém!
Aquele fogo, descido de modo admirável sobre os discípulos, purifique os vossos corações de todo mal e vos transfigure em sua luz.
Amém!
Aquele que na proclamação de uma só fé reuniu todas as línguas vos faça perseverar na mesma fé, passando da esperança à realidade.
Amém!
Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai e Filho + e Espírito Santo.
Amém!

Para despedir o povo, o diácono ou, na falta dele, o próprio sacerdote canta ou diz:
Ide em paz, e o Senhor vos acompanhe, aleluia, aleluia!
Graças a Deus, aleluia, aleluia!

Nenhum comentário: