terça-feira, 26 de novembro de 2013

O testemunho do Beato Leão Saisho Shichiemon, mártir samurai

Pax et bonum!

No século cristão do Japão feudal (algo entre a metade do séc. XVI até metade do séc. XVII), muito sangue foi derramado pelo nome de Cristo. Uma grande multidão de mártires sustentou como fortes colunas a Igreja de Cristo na terra do sol nascente.
Destas santas almas falamos hoje de um fiel leigo, samurai, esposo, pai, que aos 39 anos de idade, mas tendo apenas quatro meses de renascido pelo Santo Batismo, levou a sua profissão de fé às últimas consequências: desobedecer o senhor terrestre para por nada renegar o Senhor do Céu.
O Bem-aventurado Leão Saisho Shichiemon, um dos chamados 187 companheiros mártires do Bem-aventurado Pe. Pedro Kibe Kasui, foi martirizado no dia 17/11/1608 e beatificado, com os demais, no dia 24/11/2008.
Neste ano de 2013, e exatamente há poucos dias, completaram-se, portanto, 405 anos do golpe de katana (espada japonesa) que lhe cortou a cabeça, e 5 anos de quando a Igreja decretou oficialmente o seu culto de veneração, embora ainda não de maneira plena (a canonização).
Na última semana do Tempo Comum depois de Pentecostes, depois de já celebrarmos, nas duas formas do Rito Romano, a Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo, que o exemplo deste servo bom e fiel de nosso Senhor Jesus Cristo, igualmente devoto vassalo da Bem-aventurada Sempre Virgem Maria, interpele-nos a nada antepor a Cristo, e a procurarmos alargar cá embaixo as fronteiras do Reino de Deus.
Abaixo apresentamos uma transcrição moderna e livre da Relação de Martírio escrita em 1609 pelo então Bispo do Japão, D. Luís Cerqueira, e enviada ao Papa Paulo V. A Relação foi enriquecida com imagens e notas.

Obs: o arquivo não foi publicado no Gloria.TV, como é nosso costume, devido a problemas técnicos. Todavia, publicamo-lo no Scribd, e aqui vai incorporado.

Nenhum comentário: