Em carta ao clero, D. Jacinto exorta a homilias melhor preparadas

Salve Maria!

D. Jacinto, Arcebispo de Teresina

Em Carta Aberta aos Padres e Diáconos da Arquidiocese de Teresina, S. Exa. Revma. D. Jacinto Furtado de Brito Sobrinho, Arcebispo Metropolitano de Teresina, louva a Deus pela flexibilização do isolamento social que propiciou a retomada das celebrações com presença de fiéis.

O Prelado parabenizou o esforço e a criatividade que se viu em pastores e ovelhas neste período, no que diz respeito ao aprendizado e uso das novas tecnologias. Também considerou confortante e animador que inúmeros fiéis, mesmo tendo à disposição outros tantos canais (como das grandes redes de TV católicas), tenham permanecido acompanhando as celebrações transmitidas de suas paróquias, com seus respectivos párocos e vigários.

Encontramos também palavras de verdadeiro pastor no seguinte trecho, que por sua vez também nos reconforta, pelo que lhe somos muito gratos:

Não podemos poupar esforços! É preciso, dentro das normas vigentes, possibilitar que o maior número de fiéis possa participar da Missa Dominical. É hora de aumentar, o quanto for necessário, as celebrações eucarísticas, a começar do sábado à tarde até domingo à noite. Se, em tempos normais, Missas são multiplicadas sem "nobres motivos" ou reais necessidades das Comunidades, agora há uma excelente razão: o bem espiritual dos fiéis com mais de 120 (cento e vinte) dias sem Eucaristia!
Estou exortando os fiéis a retornarem às suas igrejas e insistirem nas suas comunidades pelo alimento de que têm fome e sede!

Logo em seguida, nosso arcebispo fala de uma chance e um desafio ao mencionar que os fiéis tiveram inúmeras opções, fizeram comparações e procuraram "uma celebração orante e de homilias mais consistentes". Assim D. Jacinto exorta o clero às necessárias mudanças para que os fiéis se fidelizem em suas próprias comunidades, reforçando sua chamada com citações de São Paulo VI e do Papa Francisco sobre a pregação, a homilia.

Quantos de nós, teresinenses, não temos recorrido à bela, acolhedora e quieta Matriz do Amparo, para celebrações na Forma Extraordinária do Rito Romano, ou para celebrações na Forma Ordinária mesmo, mas com boa música sacra, silêncio, arte de celebrar, homilias edificantes? Não queremos meramente exaltar a Matriz da Cidade, seu pároco e seus fiéis, mas o centro da cidade quase não é mais residencial, comparando-se com outros bairros, e muitas pessoas que frequentavam aquele querido templo são de todas as regiões da cidade, que para lá se dirigiam de carro, ônibus, motocicleta, mesmo com inconveniências, mesmo com gastos, exatamente por motivos semelhantes ou iguais aos motivadores da atual exortação de nosso pastor arquidiocesano.

Rezemos por ele, rezemos por nossos capelães, vigários, párocos, a fim de que neste tempo, difícil e estranho para todos, sigamos todos juntos pelo reto caminho de Cristo, testemunhando principalmente aos afastados, aos não-crentes, aos mais necessitados, a fé, a esperança e o amor cristãos.

Deus abençoe nossa Arquidiocese e que tudo o que nos ocorreu e ocorre sirva para o bem da Igreja de Deus que se encontra aqui.

Comentários

Mais acessadas no último mês

Rosário em Latim

A forma longa da Vigília de Pentecostes

Como deve ser o toque da sineta/carrilhão na Consagração?

Tríduo em Honra da Natividade de São João Batista

Sobre a saudação Dominus vobiscum (O Senhor esteja convosco) e sua resposta