quarta-feira, 24 de junho de 2009

Natividade de São João Batista


Viva São João, precursor e batista!



Hoje estava pensando em como São João Batista tem grande importância na vida espiritual dos cristãos.
De fato, sua pessoa está tão intimamente relacionada com o plano de salvação de Deus, que não poderia a Igreja deixar de tê-lo como exemplo de virtudes e bondoso intercessor.
As exortações de São João, nos Evangelhos, são lidas principalmente durante o Advento e a Quaresma. A temática da conversão leva exatamente à temática da vinda do Reino de Deus.
Interessante como o próprio Salvador parece repetir as palavras de João.
Os nascimentos de João e do Senhor foram anunciados por Gabriel.
Um nasce da estéril e o outro da Virgem.

A data de hoje (24 de junho) - Solenidade da Natividade de São João Batista - é comemorada tanto no Ocidente quanto no Oriente, onde é mais chamado de precursor do que de batista. Lá também é chamado de anjo (mensageiro) do deserto.
No ocidente temos, na forma ordinária (FO) e extraordinária (FE), a missa da Vigília, para o dia 23.
Na FO, o dia 24 é Solenidade. Na FE é um Festa de I classe, que é o equivalente.
Também o rito do Santo Sacrifício no Ocidente trazem marcas do Santo Batista.

- É citado duas vezes no Confiteor (FE), logo depois da Virgem Maria e de São Miguel;
- É citado logo depois da Virgem Maria na oração "Suscipe Sancta Trinitas" (FE), depois de preparada a matéria do sacrifício;
- É citado no Cânon Romano, no "Nobis quoque" quando fala dos santos apóstolos e mártires;
- Suas palavras são usadas pelo sacerdote e pelo povo: "Ecce Agnus Dei, ecce qui tollit peccata mundi" e "Agnus Dei qui tollis peccata mundi";
- É citado no Último Evangelho, no fim da Missa (FE);

Na Divina Liturgia de São João Crisóstomo:
- Normalmente é representado junto do Senhor e da Virgem Maria na iconostase;
- É honrado no corte da prósfora, ou seja, na preparação da matéria do sacrifício;
- É honrado antes da conclusão da anáfora, logo após a comemoração da Virgem Maria.

Por fim, São João, já adulto, deixou-nos uma frase belíssima, que, na minha opinião, é ideal para um novo movimento litúrgico: Importa que ele cresça e que eu diminua (Jo 3,30).
Num mundo liberal e relativista, num período em que tanto se fazem "auto-celebrações", uma espiritualidade de despojamento, anúncio do Reino, denúncia do pecado, exemplo de virtude, amor e alegria junto do Cordeiro de Deus, o qual se deve apontar, além do desejo de diminuir para Deus somente aparecer, é conveniente! Muito conveniente!

Por Luís Augusto - membro da ARS

Nenhum comentário: