quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Mulheres no lava-pés? Pode? Agora sim, na forma ordinária do Rito Romano.

Pax et bonum!

No final de dezembro do ano de 2014, o Santo Padre dirigiu uma carta ao Prefeito da Congregação para o Culto Divino, o Cardeal Robert Sarah, dispondo que fosse mudada a rubrica do Missal Romano que faz menção a que as pessoas escolhidas para o lava-pés (ritual opcional da Missa Vespertina da Ceia do Senhor, na Quinta-feira Santa) sejam homens.
Desta forma, a partir deste ano (e somente a partir de agora), mulheres também podem ser escolhidas para compor o número das 12 pessoas que representam os apóstolos na dita cerimônia.
Nesta carta o Pontífice dizia que isto tinha como intenção melhorar a atuação, para que exprimisse mais plenamente a caridade sem confins de Cristo, o seu doar-se até o fim pela salvação do mundo.
No último dia 06 (de janeiro de 2016), a Congregação para o Culto Divino publicou o decreto que oficializa esta mudança no Missal Romano (na Forma Ordinária do Rito Romano), dando a entender que a permissão já entra em vigor imediatamente, ou seja, poderá ser utilizada na Semana Santa deste ano.

Esclarecimentos:

1. Esta permissão foi dada somente agora. Portanto, se isto foi praticado antes (o que parecia ocorrer em vários lugares), não o foi na obediência às normas litúrgicas e no verdadeiro espírito de comunhão universal, mas de arbitrariedade.
2. O pontífice, em sua carta, e o decreto falam de pessoas "do Povo de Deus", ou seja, de cristãos batizados (no mínimo). Portanto, isto não abre portas para não-batizados e pessoas de outras religiões.
3. A mudança na rubrica não obriga a que haja mulheres entre os doze escolhidos dentre os fiéis. Apenas dá a permissão para que isto seja feito, embora, também, como que recomendando.

Esperamos que esta mudança na rubrica não dê espaços a arbitrariedades e manipulações da liturgia da Igreja, mas que sirva para o que há de justo na intenção do Santo Padre em efetuá-la.

Fontes

- Notícia na Rádio Vaticano - em português

4 comentários:

Anônimo disse...

"Esta permissão foi dada somente agora. Portanto, se isto foi praticado antes (o que parecia ocorrer em vários lugares), não o foi na obediência às normas litúrgicas e no verdadeiro espírito de comunhão universal, mas de arbitrariedade."

Inclusive desobediência e arbritrariedade do próprio Papa, que já fazia esse rito como Papa e como Bispo com mulheres

Neilson disse...

Mas se o próprio papa Francisco já havia praticado o lava-pés com mulheres, inclusive uma mulçumana, como você esperam que isso não dê espaços a arbitrariedades... Vocês são cegos ou fingem não ver que o papa está trabalhando para a destruição da Igreja.

João Baptista disse...

O próprio FRancisco incluiu um não cristão no lava pés e, por outro lado, tal permissão vai totalmente contra a Tradição Teológica e a Tradição Litúrgica.

Anônimo disse...

Esse ato modernista do papa já é ruim em si; como todo resultado proveniente do desastre que foi o Concílio Vaticano II.