quarta-feira, 22 de maio de 2013

Você já leu "Liturgia - mistério da salvação", do Mons. Guido Marini?

Pax et bonum!


Foi no ano passado que veio à luz, em edição brasileira, a obra Liturgia - Mysterium salutis, de 2010, do Mons. Guido Marini, Mestre das celebrações litúrgicas pontifícias. 
O fino livro, com todo o respeito, parece o seu autor. Neste opúsculo, todavia, nosso caro mestre consegue sintetizar, em linguagem simples e acessível, pensamentos importantes do legado do Papa Bento XVI, que não podem perder-se. Trata-se de pensamentos que já são bastante conhecidos a todos que trabalham em prol dos ideais do Novo Movimento Litúrgico.
O livro, de menos de 50 páginas de tamanho menor que A5, percorre, citando o Introdução ao espírito da Liturgia, do então Cardeal Ratzinger, e a Exortação Apostólica Sacramentum Caritatis, por exemplo, temas como o espírito orante, música sacra, orientação, participação, beleza.
Do bom conteúdo podemos citar algumas partes, a nível de ilustração:

Páginas 7-8:
Somente a disposição de olhar o presente e o passado da liturgia da Igreja, como patrimônio único que se desenvolve homogêneo, é que pode levar-nos a obter, com alegria e prazer espiritual, o autêntico espírito da liturgia. Um espírito que precisamos acolher da Igreja e que não é fruto de nossas invenções. Um espírito, digo mais, que nos leva ao essencial da liturgia, ou seja, a uma oração inspirada e guiada pelo Espírito Santo, na qual Cristo continua a ser nosso contemporâneo, irrompendo em nossa vida. De fato, o espírito da liturgia é a liturgia do Espírito.
Página 13:
Chegamos ao ponto de alguns grupos litúrgicos, por própria iniciativa, se apropriarem da liturgia dominical. O resultado é certamente fruto da inventividade de um grupo de pessoas hábeis e capazes. No entanto, dessa maneira se reduz o lugar onde se encontra comigo o totalmente Outro, e no qual o sagrado se oferece a nós como dom. O que estou enfrentando é apenas a habilidade de um grupo de pessoas. Então se percebe que não é o que estamos procurando. É muito pouco, e também algo diferente.
Páginas 22-23:
E não se diga que a imagem do crucifixo obscurece a visão dos fiéis em relação ao celebrante. Os fiéis não devem olhar o celebrante, nesse momento litúrgico! Devem olhar para o Senhor! Tal como o Senhor possa olhar também para aquele que preside a celebração. A cruz não impede a visão; ao contrário, lhe abre o horizonte para o mundo de Deus, e a faz contemplar o mistério, a introduz no céu, de onde provém a única luz capaz de dar sentido à vida neste mundo. Em verdade, a visão ficaria obscurecida, impedida, se os olhos permanecessem fixos naquilo que é apenas presença do homem e obra sua.
Enfim, esta obra pequena, mas substancial, é uma boa leitura, ótima para introduzir nos temas caros ao Novo Movimento Litúrgico, bem como uma boa "introdução à Introdução" [ao espírito da Liturgia].
O valor singelo de menos de R$ 5,00 é bastante atraente. Eu elevaria o livro ao patamar de leitura obrigatória, particularmente para os cerimoniários, também por gratidão ao serviço que o Mons. Guido prestou sobretudo durante o pontificado do Papa Bento XVI.
Pessoalmente, depois da leitura deste livrinho, fiquei com vontade de reler a Sacramentum Caritatis e haurir algo mais desta boa exortação apostólica.

Então, você ainda não conhecia este livro? Pensou que só havia edição de Portugal? Para os interessados, a compra deste livro pode ser feita, por exemplo, no site da Paulus:
E no site da Livraria Loyola:

Boa leitura!

Por Luís Augusto - membro da ARS

Nenhum comentário: