sábado, 11 de agosto de 2012

Por que iPads e smartphones não podem substituir o Missal na Liturgia?


Pax et bonum!

Notícia interessante da ACI Digital.
Nós a reproduzimos e acrescentamos a citada decisão da Conferência Episcopal da Nova Zelândia que, assim esperamos, seja largamente seguida pelas outras Conferências do mundo.

Além de vários outros detalhes sérios a serem observados, o uso de um tablet como Missal

VATICANO, 10 Ago. 12 / 10:30 am (ACI/EWTN Noticias).- O Padre Antônio Spadaro, conhecido popularmente como o "ciberteólogo" do Vaticano, explicou por que os distintos dispositivos móveis como Ipad, Smartphones e tablets não podem substituir o Missal Romano nem os tradicionais livros na liturgia católica. 
O sacerdote, membro do Pontifício Conselho das Comunicações, comentou em seu blog a decisão da Conferência Episcopal da Nova Zelândia de negar-se ao pedido de vários sacerdotes do país que solicitaram usar estes dispositivos móveis nas liturgias que celebram.
Através da edição de julho da revista italiana ‘Jesus’, e no seu blog "CyberTeologia", o Padre Spadaro explica como muda o conceito do livro sagrado nos tempos do iPad, e considera que graças aos aplicativos que permitem rezar a oração do Breviário, ou o Missal, como o iBreviary, pode-se difundir o uso dos livros litúrgicos no mundo digital. 
Porém, recordou que "a página do Evangelho, permanece como parte integrante da ação ritual da comunidade cristã".
O presbítero explicou que "é inimaginável que se leve em procissão um iPad ou um computador portátil, ou que em uma liturgia um monitor seja solenemente incensado e beijado", e portanto, "a liturgia, é o baluarte de resistência da relação texto-página contra a volatilização do texto desencarnado de uma página de tinta; o contexto no qual, a página permanece como o ‘corpo’ de um texto".
Finalmente, o ciberteólogo convidou a pensar no Concílio do Trento, o qual abraçou a tecnologia de vanguarda dos seus tempos que foi a imprensa, e "permitiu a criação de edições úteis para a criação de uma liturgia realmente global, quer dizer, uniforme em todas as dioceses e paróquias", concluiu.
Um estudo realizado em 2010 pela Pontifícia Universidade da Santa Cruz e pela Universidade de Lugano com o apoio da Congregação para o Clero, demonstrou que 17,5 por cento dos sacerdotes do mundo usava internet ao menos uma vez ao dia para rezar a liturgia das horas, enquanto que, até quase 36 por cento, o fazia ao menos uma vez à semana.

Fonte: http://www.acidigital.com/noticia.php?id=23988

Até mesmo o arcebispo primaz do México, o Cardeal Norberto Rivera, já fez uso de tablet como livro litúrgico...

Tradução da decisão da Conferência Episcopal da Nova Zelândia:

CONFERÊNCIA EPISCOPAL DA NOVA ZELÂNDIA

30 de Abril de 2012

Caríssimos sacerdotes,


desde a publicação do Missal Romano para uso na Nova Zelândia, temos recebido algumas questões sobre o uso de iPads ou outros tablets, e-readers e telefones celulares por sacerdotes, ao invés do Missal, durante a Missa e outras liturgias.
Os bispos consideraram cuidadosamente este assunto e analisaram o que passa em outros países.
Todas as culturas religiosas [N.T.: todas as fés, no original] possuem livros sagrados que são reservados para aqueles rituais e atividades que estão no coração dessas mesmas culturas [N.T.: fés, no original]. A Igreja Católica não é diferente, e o Missal Romano é um dos nossos livros sagrados. Sua forma física é um indicativo de seu papel especial em nosso culto.
O Missal é reservado para o uso na liturgia da Igreja. IPads e outros disposivitos eletrônicos têm uma variedade de usos, por exemplo: jogar, navegar na internet, assistir vídeos e ler e-mails. Isto basta para tornar seu uso inadequado na liturgia.
A Conferência Episcopal da Nova Zelândia tomou a seguinte decisão sobre o uso de dispositivos eletrônicos no lugar do Missal. Esta decisão aplica-se a todos os sacerdotes nas dioceses da Nova Zelândia:


Com a publicação do Missal Romano surgiu um [grande] número de aplicativos com o Missal para iPad e outros tablets, telefones celulares e e-readers.
Enquanto estes aplicativos são excelentes para propósito de estudo, o iPad (e seus equivalentes), e-readers e telefones celulares não devem ser usados pelo sacerdote na liturgia.
Somente a cópia oficial impressa do Missal Romano pode ser usada na Missa e nas outras liturgias da Igreja.

+John Dew
Arcebispo de Wellington
Presidente

+Patrick Dunn
Bispo de Auckland
Secretário

+Denis Browne
Bispo de Hamilton

+Colin Campbell
Bispo de Dunedin

+Charles Drennan
Bispo de Palmerston North

+Barry Jones
Bispo de Christchurch

+Peter Cullinane
Bispo Emérito de Palmerston North

Fonte: http://cathnews.co.nz/wp-content/uploads/2012/04/Ipads-at-Mass.pdf


Tradução por Luís Augusto - membro da ARS

Nenhum comentário: