quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Glória a Deus por tudo isto! - São João Crisóstomo

Pax et bonum!

Vida
Ontem, 13 de setembro, celebramos a memória do grande Bispo e Doutor da Igreja São João Crisóstomo (="boca de ouro"), considerado geralmente como "o mais proeminente doutor da Igreja Grega e o maior pregador do púlpito cristão de que já se ouviu falar" (cf. Catholic Encyclopedia).
Nasceu em 347 na Antioquia. Com pouco mais de 20 anos, cativado pela caráter do bispo Melécio, estudou as Escrituras, recebeu o Batismo e foi ordenado Leitor. Ingressou numa comunidade ascética próxima a Antioquia, sob a guia de Diódoro. Mais tarde, desejando mais austeridade, passou a viver como anacoreta numa caverna. Todavia, as vigílias e os jejuns o deixaram muito debilitado, razão pela qual, por prudência, retornou à vida mais simples na Igreja como Leitor.
Muito provavelmente foi ordenado diácono por Melécio em 381. Como tal, ele tinha que servir nas funções litúrgicas, cuidar dos doentes e pobres, e provavelmente esteve um tanto encarregado do ensino dos catecúmenos. Enquanto isso continuava sua obra literária, e podemos supor que foi no fim deste período, ou nos primeiros anos de sacerdócio, que ele compôs seu livro mais famoso: "Sobre o Sacerdócio".
Foi ordenado presbítero pelo bispo Flaviano em 386 e, no curso normal das coisas, sucederia a Flaviano na sé de Antioquia. A Providência, porém, mudou os rumos e, após a morte de Nectário, Patriarca de Constantinopla, em 397, João Crisóstomo foi elevado ao patriarcado, como seu sucessor, a 26 de fevereiro de 398.
Posto numa metrópole nascente, meio ocidental e meio oriental, junto a uma corte cheia de intrigas e luxúrias, como cabeça de um clero tão heterogêneo, João começou a perceber que tipo de vida eclesiástica se iniciara para ele.
Diz-se que começou a "varrer a escada" pelos degraus de cima, reformando o clero e os religiosos. Entre o povo, passou a atrair tanto a simpatia como a inveja com suas homilias inflamadas.
Desfeita a amizade, a Imperatriz Eudóxia passou a persegui-lo. Junto dela estavam até grandes eclesiásticos, que igualmente cultivavam antipatia por João.
Em 403, o bispo Teófilo, Patriarca de Alexandria, e outros bispos se reuniram num sínodo (conhecido como Sínodo do Carvalho), levantando acusações ridículas e absurdas sobre João Crisóstomo. Fizeram o chamado para que ele, então, se retratasse. Tendo João recusado, em nome da verdade, seus inimigos, junto com o imperador, concluíram que ele devia ser deposto e exilado. Para evitar maiores confusões, ele se entregou. Mas as ameaças do povo fizeram tremer a imperatriz, que, temendo um castigo do céu, mandou trazerem-no de volta para Constantinopla. O povo recebeu-o exultante.
Em 24 de junho de 404, porém, por mais uma raiva da imperatriz e pela acusação [por Teófilo] de ter infringido um artigo do Sínodo de Antioquia de 341 (de cunho herético ariano), João Crisóstomo foi conduzido ao exílio.
João foi mandado para Cúcuso na fronteira leste da Armênia. Manteve correspondência com seus amigos e nunca deixou a esperança de regressar. Quando sua deposição chegou ao conhecimento do Papa Inocêncio I, este manteve-se a seu favor.
No ano de 407, por estar vivendo demais, aos olhos de seus inimigos, foi mandado para Pítio, região já próxima ao Cáucaso, nos extremos do império. A longa viagem seria feita a pés.
Os soldados o expunham a vários sofrimentos e o santo bispo, com 60 anos, já beirava o fim de suas forças corporais.
João Crisóstomo, grande amigo de São Basílio Magno, desterrado pelos poderes do mundo, grande defensor da unidade da Igreja, veio a falecer em Comana, cidade do Ponto (região da costa sul do Mar Negro), no dia 14 de setembro. Segundo consta, suas últimas palavras foram:
ΔΟΞΑ ΤΩ ΘΕΩ ΠΑΝΤΩΝ ΕΝΕΚΕΝ
Doxa to Theo panton eneken
(Glória a Deus por tudo isto!)
Desde 1626 seu corpo repousa na Basílica de São Pedro, em Roma. No ano de 2004, parte das relíquias foi entregue à Sé de Constantinopla pelo Beato João Paulo II. A carta do Papa e do Patriarca de Constantinopla, na ocasião, podem ser vistas no site da Santa Sé:
http://www.vatican.va/holy_father/john_paul_ii/letters/2004/documents/hf_jp-ii_let_20041127_consegna-reliquie_po.html

Obras
Obras em inglês: http://www.ccel.org/ccel/chrysostom?show=worksBy
Obras em espanhol: http://www.mercaba.org/TESORO/cartel_san_juan_crisostomo.htm
Obras em português: A postagem do Salvem a Liturgia! sobre o santo traz um link com trechos de homilias.


Liturgia
Desejo fazer o quanto antes uma postagem sobre a chamada "Divina Liturgia de São João Crisóstomo" (o rito oriental mais usado no mundo), sobretudo porque muitos leitores, sobretudo do meu estado (Piauí) desconhecem a existência de ritos orientais e a beleza da Divina Liturgia. Ela não pode ser considerada obra de São João Crisóstomo, mas veremos porque traz seu nome.
Fico devendo esta. Aguardem.

Fontes
Baseei-me quase integralmente no artigo da Catholic Encyclopedia:
http://www.newadvent.org/cathen/08452b.htm

Por Luís Augusto - membro da ARS

Nenhum comentário: