segunda-feira, 7 de outubro de 2013

A Bula Consueverunt Romani Pontifices, de São Pio V

Pax et bonum!

Hoje, memória de Nossa Senhora do Rosário, apresentamos, talvez pela primeira vez na web, a tradução da Bula (Constituição Apostólica) Consueverunt Romani Pontifices, do Papa São Pio V, na qual, segundo o Papa Paulo VI, o então Sucessor de Pedro "ilustrou e, de algum modo, definiu a forma tradicional do Rosário" (cf. Exort. Apost. Marialis Cultus, 42).
Esta Bula o Papa São Pio V escreveu dois anos antes da gloriosa vitória dos cristãos sobre os invasores muçulmanos na Batalha de Lepanto, que hoje completa 442 anos. Esta vitória deu origem à Festa de Nossa Senhora da Vitória que depois ficou sendo chamada de Nossa Senhora do Rosário.
Para o louvor de Cristo, nosso Deus e Senhor, e da Santíssima Virgem Maria.

CONSTITUIÇÃO APOSTÓLICA
CONSUEVERUNT ROMANI PONTIFICES
DO SANTO PADRE
PIO V

Os Pontífices Romanos, e os outros Santos Padres, nossos predecessores, quando sob a pressão de guerras temporais ou espirituais, ou perturbados por outras provações, a fim de mais facilmente poderem evadir-se destas e, alcançada a tranquilidade, poderem quieta e fervorosamente estar livres para servir a Deus, habituaram-se a implorar a assistência divina através de súplicas e ladainhas pedindo o sufrágio dos santos, e com Davi levantavam os olhos para os montes, confiando com esperança certa de que haveriam de receber deles o socorro.

1. Motivado por seus exemplos, e tal como piamente se acredita, inspirado pelo Espírito Santo, o Bem-aventurado Domingos, fundador da Ordem dos Frades Pregadores (cujas Constituições e Regras Nós mesmos expressamente professamos quando estávamos nas ordens menores), em ocasião similar à do tempo atual, quando partes da França e da Itália eram miseramente perturbadas pela heresia dos Albigenses, que cegaram a tantos seculares que estes mais violentamente grassavam contra os sacerdotes do Senhor e contra os clérigos, levantou os olhos ao Céu e àquele monte que é a gloriosa Virgem Maria, amável Mãe de Deus, que por sua descendência esmagou a cabeça da serpente retorcida, e sozinha destruiu todas as heresias, e pelo bendito fruto de seu ventre salvou o mundo condenado pela queda de nosso primeiro pai, e do qual, sem a mão humana, foi fendida aquela rocha da qual, golpeada pela vara, jorraram abundantemente águas correntes de graças, lançando o olhar sobre aquela forma simples de orar e procurar a Deus, acessível a todos e inteiramente piedosa, que é chamada de Rosário ou Saltério da Bem-aventurada Virgem Maria, na qual a mesma Beatíssima Virgem é venerada pela saudação angélica repetida 150 vezes, isto é, de acordo com o número do Saltério Davídico, e pela Oração do Senhor em cada dezena. Interpostas com essas orações estão certas meditações mostrando a inteira vida de Nosso Senhor Jesus Cristo, completando assim o método de oração legado pelos Padres da Santa Igreja Romana. 
Este mesmo método São Domingos propagou, e foi difundido pelo Frades do Bem-aventurado Domingos, da mencionada Ordem, e aceito por não pouca gente. Os fiéis de Cristo, inflamados por estas orações, imediatamente começaram a tornar-se homens novos. 
A treva da heresia começou a ser dissipada, e a luz da Fé Católica a ser revelada. Sodalícios para esta forma de oração começaram a ser instituídos em vários lugares pelos Frades da mesma Ordem, legitimamente incumbidos desta obra pelos seus Superiores, e confrades começaram a inscrever-se.

2. Seguindo os passos de nossos predecessores, vendo a Igreja militante, que Deus pôs em nossas mãos, agitada desta forma, em nosso tempo, por tantas heresias, e atrozmente vexada por tantas guerras e costumes depravados dos homens, nós levantamos nossos olhos, em lágrimas, mas cheios de esperança, para o mesmo monte, donde vem todo auxílio, e no Senhor benignamente exortamos e admoestamos cada fiel de Cristo a fazer o mesmo.

Dado em Roma, junto de São Pedro, sob o Anel do Pescador, aos 17 de setembro de 1569, quarto de nosso Pontificado.


Tradução por Luís Augusto - membro da ARS

Nenhum comentário: