sexta-feira, 22 de maio de 2009

Novena de Pentecostes (22-30/05)

Pentecostes (ícone maronita)


“A novena em honra do Espírito Santo é a mais antiga de todas as novenas, pelo fato de ter sido feita primeiramente por ordem de Nosso Senhor quando mandou os apóstolos de volta para Jerusalém para aguardarem a vinda do Espírito Santo no primeiro Pentecostes. Ela ainda é a única novena oficialmente prescrita pela Igreja. Direcionada à Terceira Pessoa da Santíssima Trindade, é uma poderosa súplica por luz, força e amor, tão extremamente necessários a todos os cristãos”[1]. 
A Novena inicia no dia seguinte à Solenidade da Ascensão, sexta-feira da VI Semana da Páscoa, mesmo que a Solenidade da Ascensão seja transferida para o VII Domingo (como é o caso do Brasil).

[1] http://www.ewtn.com/devotionals/pentecost/seven_tx.htm


O documento oficial de mandato da novena é a Carta Encíclica Divinum illud munus (09/05/1897) do papa Leão XIII. Eis a ordem: 
Decretamos (...) e mandamos que em todo o mundo católico neste ano, e sempre no futuro, à festa de Pentecostes preceda a novena em todas as Igrejas paroquiais e mesmo também nos demais templos e oratórios, a juízo dos Ordinários.

Por desconhecimento, pode ser que ela não seja rezada e nem ao menos lembrada em nossas paróquias. Por isso recomendamos a todos que rezem ou sozinhos, ou com familiares, ou outros amigos, nesses nove dias (22 - 30/05), para louvor e glória do Espírito Santo e pela unidade dos cristãos.

Para estes fins, proponho três orações a serem rezadas todos os dias:

1. Sequência de Pentecostes (provável autor: D. Stephen Langton (+1228), Arcebispo de Canterbury)
Obs: A versão em português é a do texto litúrgico do Brasil.

VENI, Sancte Spiritus,
et emitte caelitus
lucis tuae radium.

(Espírito de Deus, 
enviai dos céus 
um raio de luz!)

Veni, pater pauperum,
veni, dator munerum
veni, lumen cordium.

(Vinde, Pai dos pobres, 
dai aos corações ou doador dos dons,
vossos sete dons ou luz dos corações.)

Consolator optime,
dulcis hospes animae,
dulce refrigerium.

(Consolo que acalma, 
hóspede da alma, 
doce alívio, vinde!)

In labore requies,
in aestu temperies
in fletu solatium.

(No labor descanso, 
na aflição remanso, 
no calor aragem.)

O lux beatissima,
reple cordis intima
tuorum fidelium.

(Enchei, luz bendita,
chama que crepita, 
o íntimo de nós!)

Sine tuo numine,
nihil est in homine,
nihil est innoxium.

(Sem a luz que acode,
nada o homem pode, 
nenhum bem há nele.)

Lava quod est sordidum,
riga quod est aridum,
sana quod est saucium.

(Ao sujo lavai, 
ao seco regai,
curai o doente.)

Flecte quod est rigidum,
fove quod est frigidum,
rege quod est devium.

(Dobrai o que é duro, 
guiai no escuro, 
o frio aquecei.)

Da tuis fidelibus,
in te confidentibus,
sacrum septenarium.

(Dai à vossa Igreja, 
que espera e deseja, 
vossos sete dons.)

Da virtutis meritum,
da salutis exitum,
da perenne gaudium,
Amen, Alleluia.

(Dai em prêmio ao forte
uma santa morte, 
alegria eterna. 
Amém. Aleluia.)

2. Ato de Consagração ao Espírito Santo (Novena dos Padres do Espírito Santo -1912)

Prostrado, ante a grande multidão de testemunhas celestes, eu ofereço minha alma e meu corpo a vós, Eterno Espírito de Deus. Adoro o brilho da vossa pureza, a absoluta perfeição da vossa justiça e o poder do vosso amor. Vós sois o poder e a luz de minha alma. Em vós eu vivo, movo-me e existo. Desejo nunca vos ofender por infidelidade à graça e peço com todo o meu coração que me mantenhais livre mesmo do menor pecado contra vós. Protegei misericordiosamente todo o meu pensamento e concedei que eu sempre busque a vossa luz, e escute a vossa voz, e siga as vossas inspirações cheias de graça. Agarro-me a vós e vos peço, pela vossa compaixão, que me protejais na minha fraqueza. Segurando os pés traspassados de Jesus e olhando para suas cinco chagas, confiando em seu Sangue Precioso e adorando seu lado aberto e seu coração ferido, eu vos imploro, adorável Espírito que ajudais na minha enfermidade, que me mantenhais em vossa graça e que eu nunca peque contra vós. Dai-me graça, ó Espírito Santo, Espírito do Pai e do Filho, para dizer-vos sempre e em toda parte “Falai, Senhor; vosso servo escuta!" Amém.

3. Oração pelos Sete Dons (Novena dos Padres do Espírito Santo - 1912)

Ó Senhor Jesus Cristo, que antes de ascender ao céu prometestes enviar o Espírito Santo para completar a vossa obra nas almas de vossos Apóstolos e discípulos, dignai-vos conceder-me o mesmo Espírito Santo para que ele aperfeiçoe na minha alma o trabalho de vossa graça e vosso amor. Concedei-me o Espírito de Sabedoria para que eu possa desprezar as coisas deste mundo que perecem e aspirar somente às coisas que são eternas; o Espírito de Entendimento para iluminar minha mente com a luz da vossa verdade divina; o Espírito de Conselho para que possa sempre escolher o caminho mais seguro para agradar a Deus e ganhar o Céu; o Espírito de Fortaleza para que possa levar minha cruz convosco e vencer com coragem todos os obstáculos que se oponham à minha salvação; o Espírito de Ciência para que possa conhecer a Deus e conhecer-me a mim mesmo e crescer perfeitamente na ciência dos santos; o Espírito de Piedade para que possa ter o serviço de Deus como doce e amável; e o Espírito do Temor de Deus para encher-me de reverência a Deus e que possa temer desagradá-lo de qualquer modo. Marcai-me, amado Senhor, com o sinal de vossos verdadeiros discípulos e animai-me em todas as coisas com vosso Espírito. Amém.

Por Luís Augusto - membro da ARS

Nenhum comentário: